segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Retrospectiva Oscar

Por Diego Bauer

Já sabemos quem foram os escolhidos da Academia para concorrer ao Oscar deste ano, portanto vai começar agora um delicioso momento para aqueles que amam cinema: As especulações que antecedem ao Oscar. É o momento em que não se fala em outra coisa, a não ser quem merece levar os prêmios, as categorias que não possuem um grande favorito, se as grandes barbadas vão mesmo acontecer, ou se darão lugar a uma zebra histórica, se a Academia irá fazer alguma escolha política em vez de artística (e infelizmente isso é muito comum), etc. Já que o máximo que podemos fazer é especular, que tal fazermos uma retrospectiva do que aconteceu de melhor nos últimos 5 Oscars? Quem sabe possamos encontrar certas pistas que nos auxiliem no que apostar para a premiação deste ano. Além de que é sempre bom poder rever grandes filmes. Enfim, vamos ao que interessa.

Oscar 2006

Indicados a Melhor Filme

- Crash – No Limite

- Capote

- Boa Noite e Boa Sorte

- Munique

- O Segredo de Brokeback Mountain

Foi um ano que levantou uma questão importante: É possível um filme “pobre” vencer o Oscar? Bem, parece que sim. E embora muitos torçam o nariz para Crash (alegando que a sua vitória se tratou apenas de mais uma atitude política da Academia), o filme de Paul Haggis vai muito além de um simples bom filme pobre. Com ótimas interpretações (especialmente a de Matt Dillon) e um roteiro que permite uma interessante relação entre seus personagens, Crash fez por merecer o seu Oscar, desbancando o favorito O Segredo de Brokeback Mountain.

Outros Destaques

· Já é de domínio de todos, que a Academia costuma dar o Oscar de melhor diretor para aquele que conduziu o vencedor do Oscar de melhor filme. Pois é, só que neste ano aconteceu algo diferente. Não foi Paul Haggis que venceu, mas sim Ang Lee, diretor de O Segredo de Brokeback Mountain. Talvez essa tenha sido uma maneira que a Academia encontrou de premiar o grande favorito daquela noite.

· Foi o ano de George Clooney. Ele, que nunca havia sido indicado ao Oscar, neste ano teve destaque em, nada menos do que três categorias! Venceu na categoria de melhor ator coadjuvante por Syriana – A Indústria do Petróleo, além de ter sido indicado a melhor diretor por Boa Noite e Boa Sorte. Filme que também recebeu indicação de melhor filme.

· Não poderia passar para o próximo ano, sem destacar, mesmo que rapidamente, a atuação de Philip Seymour Hoffman em Capote. Não à toa, Hoffman recebeu o Oscar de melhor ator, numa atuação perfeita da lendária figura que foi Truman Capote.

Oscar 2007

Indicados a Melhor Filme

- Cartas de Iwo Jima

- Pequena Miss Sunshine

- A Rainha

- Os Infiltrados

- Babel

Martin Scorsese é, sem medo de errar, um dos maiores nomes da história do cinema. Ele criou clássicos como Taxi Driver (1976), Touro Indomável (1980) e Os Bons Companheiros (1990). Mas você sabia que ele, até esse ano, nunca havia ganhado o Oscar de melhor diretor? E que nunca, um filme seu, ganhou o Oscar de melhor filme? Pois é, realmente algo para refletir. Pelo menos, foi assim que pensou a Academia, visto que ela claramente se sentiu na obrigação de compensar os erros de outrora dando o Oscar para Os Infiltrados. Não quero dizer que Os Infiltrados é um filme ruim, mas será que era pra tudo isso?

Outros Destaques

· Não pense que o filme de Scorsese teve adversários fracos. Babel, Pequena Miss Sunshine e principalmente Cartas de Iwo Jima talvez merecessem um pouco mais de destaque. E não seria nenhum absurdo se vencessem na categoria de melhor filme.

· Forest Whitaker por O Último Rei da Escócia, e Helen Mirren por A Rainha não deram brecha pra ninguém nas categorias de melhor ator e atriz e se sagraram vencedores. E merecidamente, diga-se de passagem, visto que ambos tiveram grandes performances, interpretando dois líderes de suas nações: Whitaker deu vida ao controverso líder de Uganda, Idi Amin, e Mirren a Rainha Elizabeth II. Finalmente um pouco de justiça para essa noite que estava com a credibilidade um pouco, digamos, comprometida.

· Ainda tivemos uma bela disputa na categoria de melhor filme estrangeiro. A Vida dos Outros (Alemanha) e O Labirinto do Fauno (México) eram os que se destacavam na categoria, e não por acaso, visto que ambos são ótimos filmes. O favoritismo ficava mais para o filme mexicano, pois o mesmo recebeu seis indicações contra apenas uma do filme alemão. Porém, surpreendentemente o prêmio foi para A Vida dos Outros. Mas a noite não foi de todo ruim para O Labirinto do Fauno, pois o filme venceu nas categorias de melhor maquiagem, direção de arte e fotografia.

Oscar 2008

Indicados a Melhor Filme

- Juno

- Onde os Fracos Não Têm Vez

- Sangue Negro

- Desejo e Reparação

- Conduta de Risco

Com certeza, das edições que irei comentar, essa foi, sem dúvida, a de maior qualidade. Em muitas listas de críticos que escolheram os 10 melhores filmes dos anos 2000, Onde os Fracos Não Têm Vez e Sangue Negro eram figuras constantes. E não é à toa, pois o western dos Coen e o drama de Paul Thomas Anderson são os melhores filmes dos seus diretores, e como se trata de grandes diretores, são filmes que estão muito acima da média. Mesmo sabendo que Sangue Negro é um grande filme, é possível contestar a vitória dos Coen? Acho que não.

Outros Destaques

· É evidente que sou obrigado a destacar a melhor performance de um ator na década: a de Daniel Day-Lewis em Sangue Negro. Day-Lewis é, há tempos, um dos melhores atores da sua geração, mas com o seu trabalho no filme de Paul Thomas Anderson, ele alça um vôo que vai muito além de uma boa interpretação digna de Oscar. Ele chegou a um patamar das maiores interpretações da história, sem dever em nada para um Robert De Niro em Touro Indomável ou para um Marlon Brando em O Poderoso Chefão. Simples assim!

· Também vale ressaltar as ótimas atuações de Javier Bardem (melhor ator coadjuvante por Onde os Fracos Não Têm Vez) e Marion Cotillard (melhor atriz por Piaf – Um Hino ao Amor). Dois atores não-americanos, que depois desses dois trabalhos conseguiram se tornar conhecidos e respeitados em Hollywood.

· Não sei se você já ouviu falar de um filme francês chamado O Escafandro e a Borboleta. Se não, deveria. Se trata de um grande filme francês que recebeu 4 indicações, incluindo a de melhor diretor para Julian Schnabel. Mas acredite, é pouco! COMO, COMO, COOOMO este filme não foi indicado à categoria de melhor filme estrangeiro? Como que Mathieu Amalric não recebeu uma indicação a melhor ator? Vou além. Como este filme não foi indicado a melhor filme? Ou vai me dizer que Juno e Conduta de Risco são melhores do que ele? Ai ai, coisas da Academia...

Oscar 2009

Indicados a Melhor Filme

- O Leitor

- Frost/Nixon

- O Curioso Caso de Benjamin Button

- Milk – A Voz da Igualdade

- Quem Quer Ser Um Milionário?

Desde a cerimônia de 2004, em que O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei levou nada menos do que 11 estatuetas, não tínhamos uma edição que era dominada por apenas um filme. E foi exatamente isso que aconteceu neste ano, pois Quem Quer Ser Um Milionário levou 8 das 10 estatuetas que disputava. E apesar de ser uma espécie de conto de fadas meio bobo, de ter um roteiro previsível, e ser até apelativo em alguns momentos, é muito difícil não se emocionar com a história do sonhador Jamal Malik e a sua amada Latika. Se era pra 8 Oscars? Talvez não, mas a Academia já fez coisas piores.

Outros Destaques

· Se a Academia já fez coisas piores, talvez possamos citar um exemplo deste ano que mostra bem isso: COMO que Batman – O Cavaleiro das Trevas não foi indicado a melhor filme? COMO que Christopher Nolan não foi indicado a melhor diretor? Realmente um absurdo. Aliás, acho que o Nolan dever ter feito algo muito grave para algum cara muito poderoso, pois ele não foi indicado a melhor diretor por nenhum de seus grandes filmes! Nem pelo ótimo Amnésia (2000), pelo já citado Batman – O Cavaleiro das Trevas e agora com A Origem. Tomara que isso mude, pro bem da própria Academia.

· Sabemos que O Oscar não costuma dar prêmios póstumos, aliás só fez isso uma vez até então. Mas não tinha como. Se o Heath Ledger não ganhasse o Oscar de melhor ator coadjuvante, a credibilidade do prêmio ficaria ainda mais abalada. Será que preciso de comentários para definir a atuação de Ledger como o Coringa? Acho que não.

· Ela ganhou fama mundial em Titanic (1997), se tornou uma das melhores atrizes de Hollywood, e recebeu 5 indicações ao Oscar até este ano. Kate Winslet merecia um Oscar. Não apenas por sua carreira, mas por ter feito um grande ano. Além de O Leitor, Winslet também esteve ótima em Foi Apenas Um Sonho mostrando que é uma grande atriz, e muito versátil. Teve uma concorrência fortíssima: Meryl Streep, que dispensa apresentações, com a sua grande interpretação em Dúvida; Anne Hathaway mostrando maturidade e segurança em O Casamento de Rachel; e Angelina Jolie provando definitivamente que é uma ótima atriz em A Troca. Mas mesmo com tudo isso, a premiação foi justa, e fica a certeza de que veremos Winslet de novo no Oscar em futuras edições, com certeza.

Oscar 2010

Indicados a Melhor Filme

- Um Homem Sério

- Amor Sem Escalas

- Up - Altas Aventuras

- Preciosa - Uma História de Esperança

- Distrito 9

- Educação

- Guerra ao Terror

- Avatar

- Um Sonho Possível

- Bastardos Inglórios


Lembra do que aconteceu em relação ao Cavaleiro das Trevas no ano passado? Será que se o número de indicados a melhor filme fosse maior, a injustiça poderia ter sido consertada? E será que se o Cavaleiro das Trevas tivesse sido indicado, poderia ter se sagrado vencedor? Bem, é claro que ninguém pode responder com segurança a nenhuma dessas questões, mas o que sabemos é que a Academia não queria mais correr riscos e, por isso, decidiu que o número de indicados passaria de 5 para 10. Mas, como sempre, a disputa ficou entre dois filmes: Avatar e Guerra ao Terror. Por se tratarem de filmes completamente diferentes, duas correntes também bem opostas se confrontaram defendendo seu respectivo filme e depreciando o outro. Enfim, deu Guerra ao Terror, para alegria e tristeza de muitos.

Outros Destaques

· Foi uma cerimônia em que o nível dos atores coadjuvantes estava mais alto do que o dos principais. Christoph Waltz, por Bastardos Inglórios e Mo’Nique por Preciosa – Uma História de Esperança eram muito favoritos ao prêmio e, como era de se esperar, venceram.

· Foi a cerimônia que marcou o retorno de Quentin Tarantino ao Oscar. Ele que não participava do Oscar desde 1995, por Pulp Fiction, voltou com o ótimo Bastardos Inglórios. O filme teve 8 indicações, mas infelizmente só ganhou em uma categoria (melhor ator coadjuvante – Christoph Waltz). Uma pena, pois Tarantino apresentou novamente um ótimo filme (que roteiro e direção!), que merecia uma melhor sorte.

· Outro grande destaque ficou por conta da categoria de melhor filme estrangeiro. O Profeta (França), A Fita Branca (Alemanha) e O Segredo dos Seus Olhos (Argentina) eram os principais concorrentes, principalmente os dois últimos. Por ter ganhado fama e prêmios em alguns festivais pelo mundo, A Fita Branca, do conceituado diretor Michael Haneke tinha um certo favoritismo. Porém, O Segredo dos Seus Olhos surpreendeu a todos, e venceu. Uma bela vitória, visto que Juan José Campanella nos entrega um filme sensível, bem estruturado, e tecnicamente perfeito (a cena do campo de futebol é antológica). Mais um motivo para lamentarmos a ausência do Brasil.

Depois de rever tantos filmes, dá ainda mais vontade de que a cerimônia chegue logo. Espero que essa retrospectiva tenha ajudado você a saber o que esperar da cerimônia deste ano, e que tenhamos um ótimo Oscar 2011.

Dá um tempo, Johnny! - Atualizada

POR CAIO PIMENTA

Diretor-Geral do SET UFAM

Johnny Depp é um dos atores mais adorados pelo público e um dos mais talentosos surgidos em Hollywood nos últimos 20 anos.

Cada filme que carrega o nome dele é um sinônimo de destaque na mídia e de boas bilheterias.

Porém, o excesso de filmes protagonizados pelo astro vem provocando um desgaste na sua imagem e tornando suas atuações cada vez mais iguais.

Mudando de visual freneticamente e transitando nos mais diversos gêneros, o ator era até 2003 um ilustre conhecido, pero no mucho do grande público.

Explico: apesar de ter feito filmes de sucesso como "Edward Mãos de Tesoura" e "A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça", ambos com o parceiro Tim Burton, Depp ainda tinha um ar de ator cult, mesmo sendo um rosto conhecido.

Foi a partir de 2003, porém, que o ator passou a ser uma estrela ao interpretar o inesquecível Jack Sperrow em "Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra".

De lá para cá, Depp esteve presente em 13 filmes (não entram na contagem os filmes em que ele participa como comentarista nem documentários).

A média de quase 2 filmes ao ano traz a necessidade de uma reflexão: será que não era a hora de Johnny Depp dar uma parada para descansar sua imagem, além de poder se reinventar?

Para isso, analiso as atuações do astro depois do sucesso do primeiro "Piratas do Caribe".

"Era Uma Vez no México" (2003): em uma atuação canastrona, o astro participa deste fraco e sem-graça filme de Robert Rodriguez (como todos os desse diretor). Quem se lembra desse longa?

"A Janela Secreta" (2004): suspense morno, no qual Depp é o único destaque. Poderia passar muito bem sem essa obra no currículo.

"Em Busca da Terra do Nunca" (2004): neste emocionante longa de Marc Forster, Depp faz uma excelente, mas superestimada atuação. Ainda conta com os sempre competentes e talentosos Dustin Hoffman e Kate Winslet e a revelação Freddie Highmore para ajudá-lo.

"O Libertino" (2004): a melhor atuação do ator nos últimos anos (sem contar Sparrow, óbvio). Em um trabalho difícil e corajoso, o ator domina o filme e nos faz torcer para que desista um pouco de fazer blockbusters.

"A Noiva-Cadáver" (2005) e "Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet" (2007): as melhores parcerias que Depp teve com o companheiro Tim Burton nesses últimos anos. No primeiro, o astro mostra-se bastante a vontade e faz um trabalho competente como dublador neste excelente filme; no musical, apesar de não se mostrar um cantor dos mais afinados, Depp traz um homem angustiado e em busca de vingança, sendo um dos pontos altos de sua carreira.

"A Fantástica Fábrica de Chocolate" (2005) e "Alice No País das Maravilhas" (2010): aqui, Depp faz dois personagens exóticos, com risadinhas estranhas, caras de abobalhados e visuais marcantes. Porém, o frisson causado pelos dois filmes foi maior que a qualidade deles e o astro começa a dar sinais de repetição de trejeitos de Jack Sparrow.

"Piratas do Caribe: O Baú da Morte" (2006) e "Piratas do Caribe: No Fim do Mundo" (2007): a ganância da Disney e do produtor da saga, Jerry Bruckheimer, em explorar a figura de Jack Sparrow foi tanta que acabamos cansando da presença dele em cena, dimunuindo o impacto da atuação de Depp, que permanece excelente.

"O Mundo Imaginário do Doutor Parnassus" (2009): chamado para "apagar o incêndio" causado pela morte do protagonista do filme, o saudoso Heath Ledger, Depp parece estar perdido e protagoniza uma cena de dança de ficar com vergonha alheia. Pelo menos, valeu a intenção de ajudar.

"Inimigos Públicos" (2009): neste suspense de Michael Mann ("O Informante"), Depp e Marion Cottilard dominam a cena, deixando Christian Bale de lado. Uma atuação sóbria, sem afetações e contemplada pela belissíma sequencia passada dentro do cinema tornam este um ponto alto na carreira do americano de Kentucky.

"O Turista" (2011): parece, mas Depp não interpreta um sonâmbulo neste filme. Abusando do carisma que possui perante o público, o astro "engata" um piloto automático a tal ponto que parece desinteressado com o que se passa ao redor e apenas contempla a beleza de Angelina Jolie. Pior de tudo, é ver o quanto ele usa os trejeitos de Sparrow, sendo a fuga dos russos correndo em cima de telhados na cidade de Veneza o exemplo mais claro de como o pirata afetou seu modo de construir personagens.

O astro ainda tem mais dois filmes para este ano.

Em abril, Depp dubla o personagem-título do filme “Rango” dirigido por Gore Verbinski. No mês de julho, Jack Sparrow volta às telas no quarto filme da saga “Piratas do Caribe”.

Definitivamente, na minha visão, Johnny Depp atravessa um caminho perigoso.

Ou dá uma pausa e repensa o rumo de sua carreira, quem sabe priorizando a escolha de filmes com maior qualidade artística ou faz um blockbuster atrás do outro e arrisca-se a desgastar sua imagem.

Pelo bem dele, dá um tempo Johnny!

SAG AWARDS 2011

O OSCAR 2011 está mais embolado do que nunca.

A vitória de “O Discurso do Rei” na categoria de melhor elenco no SAG Awards, o Sindicato dos Atores de Hollywood, neste domingo, 30 de janeiro, colocou o filme ainda mais forte na disputa da estatueta dourada.

O prêmio é o mais importante do SAG que não premia o melhor filme e sim o melhor elenco.

Enquanto “O Discurso do Rei” saiu vencedor também na categoria de ator com Colin Firth, “A Rede Social” saiu da festa de “mãos abanando”.

Interessante é notar a virada que o candidato inglês vem alcançando na última semana em cima do filme sobre o Facebook. O maior número de indicações ao OSCAR 2011 (12X8) e as conquistas dos prêmios do Sindicatos dos Produtores (PGA) e Diretores (DGA) tem mudado o panorama do OSCAR.

A disputa está aberta e a briga promete ser tão emocionante quanto a do ano passado, quando “Avatar” e “Guerra Ao Terror” foram até o fim lutando na categoria de melhor filme.

Sobre as outras categorias, tudo parece em definido: Colin Firth fica com melhor ator, enquanto Bale é o coadjuvante preferido entre os homens. Já Natalie Portman confirma seu favoritismo como melhor atriz e Melissa Leo deve conquistar o de coadjuvante.

Vamos aos vencedores da noite (em negrito, os vencedores):

Melhor elenco

O Discurso do Rei

O Vencedor

Minhas Mães e Meu Pai

A Rede Social

Cisne Negro

Melhor ator

Colin Firth - O Discurso do Rei

Jeff Bridges -Bravura Indômita

Robert Duvall -Get Low

Jesse Eisenberg - A Rede Social

James Franco - 127 Horas

Melhor atriz

Natalie Portman - Cisne Negro

Anette Bening -Minhas Mães e Meu Pai

Nicole Kidman - Reencontrando a Felicidade

Jennifer Lawrence - Inverno da Alma

Hilary Swank – Conviction

Melhor ator coadjuvante

Christian Bale - O Vencedor

John Hawkes - Inverno da Alma

Jeremy Renner -Atração Perigosa

Mark Ruffalo - Minhas Mães e Meu Pai

Geoffrey Rush - O Discurso do Rei


Melhor atriz coadjuvante

Melissa Leo - O Vencedor

Amy Adams - O Vencedor

Helena Bonham Carter - O Discurso do Rei

Mila Kunis - Cisne Negro

Hailee Steinfeld - Bravura Indômita

Melhor elenco de dublês

A Origem

Zona Verde

Robin Hood


Melhor elenco de dublês em série de TV

True Blood

Melhor elenco em série de TV (drama)

Boardwalk Empire

Melhor elenco em série de TV (comédia)

Modern Family

Melhor ator em série dramática

Steve Buscemi - Boardwalk Empire

Melhor atriz em série dramática

Julianna Margulles - The Good Wife

Melhor ator em série cômica

Alec Baldwin - 30 Rock

Melhor atriz em série cômica

Betty White - Hot in Cleveland

Melhor ator em minissérie ou telefilme

Al Pacino - You Don´t Know Jack

Melhor atriz em minissérie ou telefilme

Claire Danes - Temple Grandin

domingo, 30 de janeiro de 2011

Henry Cavill é o novo Superman

O diretor Zack Snyder ("300"e "Watchmen") escolheu o ator inglês Henry Cavill, de 28 anos, para interpretar Clark Kent, no novo filme da série "Superman", com estreia prevista para 2012.

Entre os filmes realizados por Henry estão: "O Conde de Monte Cristo"(2002), "Tristão e Isolda" (2006), "Stardust - O Mistério da Estrela" (2007), "Tudo Pode Dar Certo" (2009) e "Immortals"(2011). Ele também participou da série "The Tudors" de 2007 a 2010.

Henry Cavill é o terceiro Superman das telonas. Christopher Reeve interpretou o heroí em cinco ocasiões, enquanto Brandon Routh somente uma vez em 2006.

Zack Snyder afirmou em comunicado da Warner Bros. que a equipe está empolgada para trabalhar com Henry nas filmagens marcadas para terem inicío em junho ou julho deste ano.

O novo Superman tem produção de Charles Roven, Emma Thomas, Christopher Nolan e Deborah Snyder e o roteiro é de David Goyer ("Batman Begins" e "Batman - O Cavaleiro das Trevas").

Boa Sorte para Henry Cavill e sucesso para o novo Superman!

C.I.A S.A.I Manôa


A série "C.I.A S.A.I: MANOA" (Comando de Inteligência da Agência e Serviço da Agência de Inteligência) tem estreia prevista em abril de 2011 dentro do programa Zappeando, exibido na TV Amazonas (afiliada da Rede Globo no Amazonas) e na Amazon Sat.

A primeira temporada terá 10 episódios com 6 minutos cada.

Contando com o apoio da Casa do Cinema, do Núcleo Digital, da Amacine e Focufilmes, o projeto já teve uma oficina de preparação de atores com pessoas do bairro do Manôa, na zona norte de Manaus, ministrada pelo ator Jean Nogueira.

Segundo o site do projeto, a idéia é que, após ser transmitido no Zappeando, "C.I.A S.A.I: MANOA" seja exibido em escolas da cidade, conte com uma exibição com todos os episódios da série no Cinemark e finalmente poste os vídeos no YouTube.

A segunda temporada já está sendo desenvolvida e vai ser realizada em outro bairro de Manaus.


TRILHA SONORA

As bandas amazonenses que quiserem fazer parte da trilha sonora de "C.I.A S.A.I: MANOA" devem deixar seus materiais na Casa do Cinema, na Rua Ramos Ferreira, no Centro de Manaus até o dia 4 de fevereiro.
O local fica aberto de segunda a sexta de 8hrs a 17hrs.

Segundo o site da série, todas os gêneros musicais serão aceitos.

Site: www.ciasai.wordpress.com
Twitter: @ciasaioficial
Facebook: /ciasaioficial

"Senna" vence em Sundance





Ayrton Senna morreu no dia primeiro de maio de 1994.

Porém, o carinho e amor do público por um dos maiores pilotos da história da Fórmula-1 continua grande.

Tal fato, ficou provado com a vitória do filme "Senna", dirigido pelo britânico Asif Kapadia, no Festival de Sundance, nos Estados Unidos, na categoria de melhor documentário escolhido pelo público neste sábado, 29 de janeiro.

O longa mostra o início arrasador do piloto na pequena equipe "Lotus", logo em seguida parte para o sucesso absoluto na McLaren, onde conquistou seus três títulos mundiais e se encerra com o período trágico na Willians, quando Ayrton encontrou a morte no Grande Prêmio de San Marino.

Durante o filme, vemos a rivalidade de Senna com o francês Alain Prost, a preocupação do brasileiro com os riscos que o esporte trazia e a extrema competitividade dele, a ponto de fazer loucuras pela vitória.
"Senna" é essencial para entender o maior atleta brasileiro depois de Pelé!


SUNDANCE 2011 - PREMIAÇÃO

O Festival de Sundance é um dos principais festivais norte-americanos e tem fama de prestigiar as produções independentes.

Confira a lista completa dos vencedores da edição 2011:

- Prêmio World Cinema - Documentário (Júri): Hell and Back Again
- Prêmio World Cnema - Drama (Júri): Happy, Happy (Sukt Lykkelig)
- Melhor Documentário pelo Público: Buck
- Melhor Drama pelo Público: Circumstance
- Prêmio World Cinema - Documentário (Público): Senna
- Prêmio Wolrd Cinema - Drama (Público): Kinyarwanda
- Best of NEXT! (Público) - to.get.her
- Melhor Direção (Documentário): Jon Foy (Resurrect Dead: The Mystery of the Toynbee Tiles)
- Melhor Direção World Cinema (Documentário): James Marsh (Project Nim)
- Melhor Direção World Cinema (Drama): Paddy Considine (Tyrannosaur)
- Prêmio Waldo Salt de Roteiro: San Levinson (Another Harry Day)
- Prêmio World Cinema de Roteiro: Erez Kav-El (Restoration)
- Melhor Edição (Documentário): If a Tree Falls
- Melhor Edição Prêmio World Cinema (Documentário): The Black Power Mixtape 1967-1975
- Melhor Fotografia (Documentário): The Redemption of General Butt Naked
- Melhor Fotografia (Drama): Pariah
- Melhor Fotografia Prêmio World Cinema (Documentário): Hell and Back Again
- Melhor Fotografia Prêmio World Cinema (Drama): All Your Dead Ones
- Prêmio Especial do Júri World Cinema - Revelação (Drama): Olivia Colman (Tyrannossaur) e Peter Mullan (United Kingdom)
- Prêmio Especial do Júri World Cinema (Documentário): Position Among the Stars (Stand Van de Sterren)
- Prêmio Especial do Júri (Documentário): Being Elmo - A Puppeteer's Journey
- Prêmio Especial do Júri (Drama): Another Earth
- Prêmio Especial do Júri de Interpretação (Drama): Felicity Jones (Like Crazy)

sábado, 29 de janeiro de 2011

Conheça-nos! - Parte 2


Por Mariana Lima


Depois de uma longa semana cheia de assuntos sobre cinema nada melhor do que dá uma relaxada e continuar a nossa querida lista de Quem é quem mesmo no SET UFAM? Figuras é que não falta nesse grupo. Confira-nos!

Tainá Lima
(Tainá acordando)


Apresentadora do SET UFAM.
GLAMOUR! Se você, meu querido, se acha chique, phyno, educado e inteligente.. deveria conhecer TAINÁ LIMA. Não é a-toa que nós escolhemos nossos apresentadores benhê!
Tainá tem um ar Audrey Hepburn em Bonequinha de Luxo e das garotas de Sexy and City, sem deixar de ser uma fofa e, é claro, MUITO ENGRAÇADA. Afinal quem nunca riu com o Tainá Show?
Trancou a UFAM para se dedicar aos estudos para os vestibulares de faculdades nos Estados Unidos. (chique)
Onde trabalha? É minha personal style.
Twitter? -
Blog? Tainá Lima


Juliana Teles

(Compondo/fazendo uma matéria/escrendo poesia - ao mesmo tempo)


Apresentadora, repórter e produtora do SET UFAM.
Sabe aquele ser humano que faz mil coisas ao mesmo tempo? Essa é a Juliana Teles.
Meu amoor pra gente gravar qualquer coisa temos que antes consultar a agenda da Jú!
Mas como ela é uma mutante e consegue fazer tudo e comparece a vários lugares ao mesmo tempo (faz a Hermione), no fim das contas dá tudo certo!
Criativa, topa-tudo, não tem como não ganhar vários amigos com a fofurice dela. Alias, muito das coisas que fizemos e achávamos que não era possivel foi a Jú que disse: "Ué, porque não?"
Cursa o 7 período de Jornalismo na UFAM.
Assiste filmes só quando dá tempo.
Onde trabalha? Jornal A Critica - cadernos: Vida e Estilo e Revista da TV.
Twitter? @telesjuli


Hiara Layolee

(muito madura)


Repórter e produtora do SET UFAM.
A garota de Recife, que chegou odiando Manaus e agora até consegue sobreviver aqui!
Virou repórter de paraquedas e quando viu já estava no meio do Anime Jungle Palace falando com milhares de pessoas!
Cursa o 3 periodo de Jornalismo na UFAM.
Assiste a todos os filmes que consegue assistir.
Onde trabalha? Sabe que eu também não sei!
Twitter? @hiiiara



João Artur

(Artur em Madagascar - homem viajado!)


Produtor e apresentador do SoundTracks.
O Artuzinho é um caso sério... Isso porque ele entrou e saiu do SET UFAM várias vezes! Coisa de gente importante e sem tempo né?
Ele esteve no EUA junto com a Camila Baranda e fez alguns programas especiais pra gente de lá.
Cursa algum periodo de Jornalismo da UFAM (acho que é o 7 mas tenho várias dúvidas)
Assiste a todos os filmes que as pessoas conseguem carregá-lo.
Onde trabalha? É produtor do telejornal A Crítica na TV (TV A Critica)
Twitter? @JarturVieira


Camila Baranda
(didididiva)

Foi apresentadora e repórter do SET UFAM.
Camila estudou durante 6 meses nos EUA onde produziu algumas matérias especiais pra gente junto com o Artur.
Engraçada, inusitada... louca? Essa são as palavras que explicam a Camila (ou algumas atitudes dela).
Cursa algum periodo da UFAM que nem ela sabe.
Assiste a todos os filmes que consegue assistir tendo, ultimamente, uma queda pelos Espiritas.
Onde trabalha? É repórter do telejornal A Critica na TV (TV A Crítica), tendo sido repórter da Rede TV em Manaus.
Twitter? @camilaba
Blog? Sacaniei



Aguarde novas apresentações em breve! ;)

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Prêmios SET UFAM - Momento mais Marcante do SET UFAM em 2010


A equipe do SET UFAM escolhe agora o momento mais importante da equipe em 2010.

Concorrem "Juliana na caça de James Cameron", a cobertura do OSCAR 2010 no blog e o programa especial com os filmes locais indicados ao Amazonas Film Festival 2010.

Não Perca!

Prêmios SET UFAM - Melhores de 2010 - Filme


Qual é o melhor filme de 2010?

Será "Toy Story 3" ou "Tropa de Elite 2" ou "A Origem"?

A escolha está nas mãos da equipe do SET UFAM e você confere agora!

Prêmios SET UFAM - Melhores de 2010 - Diretor


Mais um prêmio vai sair agora na categoria de melhor diretor!

Concorrem José Padilha por "Tropa de Elite 2", Christopher Nolan em "A Origem" e Quentin Tarantino por "À Prova de Morte".

Veja quem a equipe do SET UFAM escolheu!

Prêmios SET UFAM - Melhores de 2010 - Ator


A premiação do SET UFAM aos melhores do cinema em 2010 continua, agora com a categoria de melhor ator!

Concorrem Leonardo DiCaprio por "A Origem", Wagner Moura em "Tropa de Elite 2" e Jesse Eisenberg por "A Rede Social".

Não Perca!

Prêmios SET UFAM - Melhores de 2010 - Atriz


A premiação concedida aos melhores do ano de 2010 pela equipe do SET UFAM chega a categoria de melhor atriz!

Marion Cottilard, por "A Origem", Gabourey Sibide em "Preciosa" e Sandra Bullock por "Um Sonho Possível" são as concorrentes.

Quem será a vencedora?

Não Perca!

Soundtracks – Stanley Kubrick

Stanley Kubrick (1935-1999) é um nome que costuma exaltar os ânimos dos cinéfilos, capaz de “rachar” qualquer discussão de botequim.

Diretor, roteirista, fotógrafo, montador e produtor, Kubrick responde por algumas das obras mais ousadas e vigorosas da Sétima Arte, inspirando novos cineastas e assombrando o público há décadas.

Arrisco dizer que não há pessoa que goste de filmes que já não tenha visto Laranja Mecânica (1971), O Iluminado (1980) ou o arrebatador 2001 – Uma Odisséia no Espaço (1968), para ficarmos somente nos famosos.

Mas uma análise da obra cinematográfica de Kubrick (que já foi tema de um Biografia na nossa 2ª temporada do SET UFAM) não é o tema do post de hoje.

E sim a influência que ele exerceu sobre um outro aspecto de seu ofício: as trilhas sonoras. Tudo porque, num belo dia, Stanley resolveu desencavar alguns LP’s de sua coleção.

Não, não foi tão casual assim. Kubrick mudou tudo porque precisava, na prática, de algo que combinasse com as imagens ritmadas da obra que estava filmando à época – 2001.

É sabido, porém, que, com o filme ainda na fase de pré-produção, Kubrick encomendara ao compositor Alex North (com quem trabalhou em Spartacus) uma trilha sonora original (e convencional). Foi na fase da montagem que a ideia piscou: sem a música de North, que ainda não estava pronta, Kubrick, que concebeu algumas daquelas imagens a partir da música que ouvia em casa, resolveu incorporar essas peças ao filme.

Claro que, sendo Kubrick quem era, o que ele ouvia em casa era para poucos (ou pouquíssimos): o poema sinfônico de Richard Strauss, Assim Falou Zaratustra, o balé Gayane, de Aram Khachaturian, e a música dissonante e assustadora de György Ligeti. Perto disso, a valsa Danúbio Azul, de Johan Strauss II, era quase um agrado.

Em termos cinematográficos, contudo, a trilha se encaixou à absoluta perfeição. Ficou impossível, desde então, dissociar algumas sequências do filme da música poderosa que as acompanha. Que tal ver o nascer do sol ao som do Zaratustra, pairar no infinito com o Danúbio ou vislumbrar atônito o monólito com o Réquiem? Quem já viu 2001 há de concordar.

O sucesso dessa combinação inspirou Kubrick a dar um passo além no trabalho seguinte, Laranja Mecânica.

Desta vez, para espanto dos puristas, o diretor mexeu com monstros da envergadura de Beethoven e Rossini, de quem incluiu, respectivamente, a Nona Sinfonia e a ópera La Gazza Ladra.

Não contente, ele pediu que o vanguardista Walter Carlos mexesse em alguns dos temas, inserindo tratamentos eletrônicos, além de criar composições novas. O resultado não foi tão positivo: as intervenções do músico ficaram datadas rapidamente, não poupando nem a magistral Nona.

Por outro lado, é o mesmo Carlos quem garante a perenidade da tracklist: os sintetizadores lúgubres da sua versão de Música para o Funeral da Rainha, de Henry Purcell, e Timesteps, de sua autoria, são obras-primas de um período pré-Kraftwerk.

Mas a melhor de todas é mesmo a trilha que Kubrick criou para Barry Lyndon (1975).

Melhor até do que o filme em si (e olha que, pra mim, ele pertence ao primeiro escalão do diretor), a música reflete a opulência dos círculos aristocráticos retratados na trama: a Sarabanda de Händel, o Concerto para Violoncelo de Vivaldi, o Concerto para Duas Harpas, de Bach, e, acima de todos, o esplêndido Trio para Piano, Violino e Violoncelo de Schubert.

Conduzida pelo maestro Leonard Rosenman, a trilha rendeu a Barry Lyndon um dos únicos Oscar já conquistados por um filme de Kubrick (o outro foi o de Efeitos Especiais por 2001, descontando-se o de Melhor Fotografia em Spartacus, que foi obra de Kubrick, mas pela qual Russell Metty levou o crédito).

Novamente em catálogo desde 1999, é a seleção mais preciosa do diretor.

Por último, vale mencionar a música em De Olhos Bem Fechados (1999).

O derradeiro trabalho de Stanley Kubrick tem uma trilha sonora marcadamente sexy, à maneira das imagens na tela. Ela também traz à tona uma paixão antiga, mas pouco explorada, pelo diretor: o jazz..

Kubrick, que na adolescência foi baterista em diversos conjuntos, usa algumas das gravações mais hot dos pianistas Oscar Peterson (“I Got It Bad [and That Ain’t Good]”) e Brad Mehldau (“Blame It on My Youth”), além de standards (“When I Fall in Love”, “Strangers in the Night”) e, claro, música erudita (Musica Ricercata, de Ligeti, e a Valsa II da Suíte para Orquestra de Variedades, de Shostakovich).

Você pode baixar essas trilhas nos seguintes links:

2001: http://www.mediafire.com/?yejc68sdlzi

Laranja Mecânica: http://www.mediafire.com/?tyxmmtwkbyk

Barry Lyndon:

http://rapidshare.com/#!download|881tl4|409203032|BarLyn.rar|74755

De Olhos Bem Fechados: http://www.mediafire.com/?22neyiozy5n

E aqui vai um dos trechos da genialidade de Kubrick em "2001: Uma Odisséia no Espaço":


Até o próximo Soundtracks!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Estreias da Semana nos Cinemas de Manaus - 28 de Janeiro

Filme: Amor e Outras Drogas
Direção: Edward Zwick
Elenco: Jake Gyllenhaal, Anne Hathaway, Hank Azaria
Sinopse: Maggie (Hathaway) é um espírito sedutor livre que não vai deixar ninguém - ou nada - amarrá-la. Mas ela encontra o seu espelho em Jamie (Gyllenhaal), cujo incansável e quase infalível charme é bem utilizado com as mulheres e no mundo cruel de vendas de produtos farmacêuticos. A evolução da relação entre Maggie e Jamie os leva a uma surpresa, quando se encontram sob a influência da droga final: o amor.
ONDE: Cinemark, Cinemais e Playarte



Filme: Caça às Bruxas
Direção: Dominic Sena
Elenco: Nicolas Cage, Ron Pearlman, Christopher Lee
Sinopse: Maggie (Hathaway) é um espírito sedutor livre que não vai deixar ninguém - ou nada - amarrá-la. Mas ela encontra o seu espelho em Jamie (Gyllenhaal), cujo incansável e quase infalível charme é bem utilizado com as mulheres e no mundo cruel de vendas de produtos farmacêuticos. A evolução da relação entre Maggie e Jamie os leva a uma surpresa, quando se encontram sob a influência da droga final: o amor.
ONDE: Cinemark, Cinemais, Playarte e Severiano Ribeiro




Filme: A Morte e Vida de Charlie
Direção: Burr Steers
Elenco: Zac Efron, Amanda Crew, Kim Basinger, Ray Liotta
Sinopse: Charlie (Zac Efron) é um jovem talentoso e de futuro brilhante muito ligado à família. Depois de um grave acidente que ceifa a vida de seu irmão mais novo, Sam (Charlie Tahan), ele não consegue lidar com a perda e decide trabalhar no cemitério no qual o pequeno foi enterrado, abandonando seus projetos de vida. A volta de Tess (Amanda Crew), uma antiga paixão, mexe com o coração do rapaz e o coloca em dúvida sobre manter a promessa de ficar perto da família ou esquecer o passado e permitir que o amor renove sua vida.
ONDE: Cinemark e Cinemais



Filme: Demônio
Direção: John Erick Dowdle
Elenco: Chris Messina, Geoffrey Arend, Bojana Novakovic
Sinopse: Um grupo de cinco desconhecidos seguem suas rotinas do dia na Filadélfia e entram no mesmo elevador sem prestar muita atenção uns nos outros. Mas, quando o elevador enguiça, eles começam a notar que o acidente não foi uma coincidência e coisas terríveis começam a acontecer. A cada momento, eles acreditam que um ou outro do grupo é o responsável por tudo aquilo até entenderem que um deles é o Demônio e precisam enfrentar as situações que os colocaram naquela situação.
ONDE: Cinemais e Severiano Ribeiro