segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

OSCAR 2011 - De Volta Para o Futuro

Por CAIO PIMENTA
Diretor do SET UFAM

Nova York
25/02/2021
 
Estamos às vésperas do OSCAR.

Não há período mais emocionante para quem é cinéfilo do que ficar discutindo qual obra merece mais a estatueta, os injustiçados, a pressa para assistir todos os indicados antes da premiação.

Lembro que comecei a acompanhar atentamente essa festa em 1998.

Naquele ano, vários atrativos chamaram minha atenção: “Titanic”, o filme que me fez ser um cinéfilo, era o grande favorito; Jack Nicholson, um dos meus atores favoritos, ganharia seu terceiro OSCAR pelo excelente “Melhor é Impossível” e “O Que é Isso Companheiro?” tentava nossa primeira estatueta dourada (hoje em dia, parece até piada nosso desespero pelo OSCAR!).

Dali em diante, assistir a noite do OSCAR era obrigação!

Hoje, após 23 anos acompanhando a cerimônia, lembro de uma noite especial: a do OSCAR 2011.

Eu, minha mulher (Mariana Lima) e meus três amigos, César Nogueira, Diego Bauer e Renildo Jr, fizemos uma cobertura para este site (na época, blog). 

Vídeos com comentários, fotos do tapete vermelho, textos sobre os vencedores imediatamente após serem anunciados, DVD´s sorteados no Twitter (lembra dele?)...

Ao todo, obtivemos naquele dia mais de 750 visualizações!

Recordo que assistia a cerimônia com muita desatenção devido a todo o trabalho.

Dez anos depois, analisando os resultados da noite, vejo o quão pobre o OSCAR 2011 foi!

O grande vencedor foi “O Discurso do Rei” que levou 4 estatuetas, incluindo a de melhor filme e diretor para Tom Hooper.

Aposto que você nem deve lembrar dele!

Sabe o por quê?
 
“O Discurso do Rei” se juntou a uma lista de obras como “O Maior Espetáculo da Terra”, “Como Era Verde o Meu Vale”, “No Calor da Noite”, “Kramer Vs. Kramer”, “Guerra ao Terror, entre outros: filmes do momento, com ótima receptividade entre o público e crítica, brilhantes tecnicamente, com atuações irretocáveis e temas bem ao gosto da Academia.

Todas essas obras citadas, diga-se de passagem, são ótimos filmes, porém, nada além de ÓTIMOS FILMES!

Nenhum deles apresenta ousadias tanto visuais quanto narrativas, muito menos representam algum marco para a história do cinema.

Pior ainda é analisar e vermos que três filmes indicados junto com “O Discurso do Rei”,  representam muito mais para o cinema que o filme sobre a história de George VI.

“A Origem” é uma das ficções científicas mais brilhantes das últimas duas décadas e possui um roteiro complexo, mas muito bem amarrado pelo excelente Christopher Nolan; já “Cisne Negro” homenageou o balé de forma tão única e trazia Natalie Portman em atuação espetacular (e olha que de lá para cá, ela continua no mesmo nível) e, por último, “Toy Story 3” feito em um dos períodos mais mágicos da Disney, quando a PIXAR não errava nada e com uma história que completa de maneira magnífica a trilogia.

2011 foi tão louco que “O Discurso do Rei” teve como seu maior concorrente “A Rede Social”, belo filme do hoje sumido David Fincher. A obra sobre a criação do site “Facebook” (lembra desse – versão 2.0?) também era um filme do momento e, sendo assim, um ótimo longa.

Tomara que o OSCAR 2021 seja diferente.

Caso contrário, essa premiação continuará a perder o interesse do diminuto público que ainda acompanha a cerimônia!

Fim da Cobertura do OSCAR 2011

O Oscar 2011 vai ficando por aqui. O Set Ufam se despede desta cobertura com um grande parabéns a todos os indicados, um grande obrigado a quem nos acompanhou, e, principalmente, o empenho em compartilhar com o público cinéfilo do Amazonas os grandes eventos da Sétima Arte. Até a próxima cobertura!

Comentário sobre o OSCAR - Parte 6

video
Os últimos comentários loucos de Diego Bauer e César Nogueira!

Não Perca!

OSCAR 2011: Melhor Filme

Chega o grande momento... a consagração máxima do Oscar. O prêmio de Melhor Filme teve a responsa de ser entregue por ninguém menos que Steven Spielberg. E a estatueta foi para... O Discurso do Rei, obra de um trio de notáveis: o diretor Tom Hooper e os atores Colin Firth e Geoffrey Rush, que recriaram com emoção e humor a saga do rei inglês George V na superação de sua gagueira crônica, bem como da sua ascensão ao trono às vésperas da Segunda Guerra Mundial. Ótimo filme, apesar de que, com vários grandes indicados, tanto este quanto Cisne Negro ou A Rede Social (são exemplos) poderiam ter faturado.

OSCAR 2011: Melhor Ator

Os concorrentes a Melhor Ator também suaram a camisa em 2010. Desde o sofrimento físico de James Franco em 127 Horas até a tonelada de diálogos que tiveram de ser memorizados por Jesse Eisenberg em A Rede Social, qualquer dos indicados que ganhasse mereceria o prêmio. Para azar deles, havia o trabalho monumental de Colin Firth em O Discurso do Rei, onde o ator teve de passar por uma caracterização realista da gagueira até o grande número de emoções que afligem o rei George V na sua ascensão hesitante ao trono. Parabéns!

Comentários sobre o OSCAR - Parte 5

video
Comentários insanos sobre o OSCAR 2011 com Diego Bauer e César Nogueira!

OSCAR 2011: Melhor Atriz


            A vitória de Natalie Portman no prêmio de Melhor Atriz deste ano talvez tenha sido a única previsibilidade da noite que tenha sido maravilhosa. A atriz que fez papéis tão distintos, como a garotinha de “O Profissional” à Rainha Amidala, de “Star Wars”, fez um trabalho insuperável como a Nina de “Cisne Negro”. Ela compõe uma personagem de várias camadas. Em Nina, podemos ver uma artista obcecada com a perfeição e aprovação que, para sua infelicidade, não consegue atingir as emoções necessárias para o seu tão sonhado papel. Nela, também podemos vislumbrar quão duro é o mundo e o ofício do balé, mesmo que Portman não seja bailarina profissional. Dentre muitos outras camadas, também podemos ver como uma mãe pode ser castradora ao querer realizar as suas frustrações a partir da filha. Natalie Portman se juntou às grandes com esse papel e a premiação de hoje. Tal reconhecimento era questão de tempo, e, como ela nos mostrou com a sua carreira, era tão previsível quanto esse prêmio.

Homenagem a Coppola, Wallach, Brownlow e Godard



Mais homenageados no Oscar 2011. Dessa vez, Hollywood celebra Eli Wallach, Kevin Brownlow, Francis Ford Coppola e Jean-Luc Godard (que não compareceu ao prêmio). Bom saber que a Academia não esquece de homenagear esses nomes tantas vezes injustiçados quando estavam no auge.

OSCAR 2011: Melhor Diretor

O prêmio de Melhor Diretor incendeia a disputa do Oscar! O alto nível dos indicados deve ter pesado para os votantes da Academia: desde a revelação do relativamente novo Tom Hooper, por O Discurso do Rei, até o tour de force de Darren Aronofsky em Cisne Negro, tivemos uma disputa apertadíssima, na qual não haveria realmente uma injustiça. No caso, deu O Discurso do Rei, trabalho de gabarito de Hooper, que narra a história da difícil superação de um distúrbio comum, a gagueira, por um... rei. Imaginem o estrago. Parabéns, Hooper!

domingo, 27 de fevereiro de 2011

OSCAR 2011: Homenagem à Lena Horne

O momento mais emocionante do Academy Award de hoje acaba de passar. Trata-se da belíssima homenagem que Hollywood fez a Lena Horne, atriz e cantora que teve a carreira injustamente sabotada no período de “caça aos comunistas” dos Estados Unidos nos anos 40. Dona de voz quente e pessoal, Horne estrelou vários musicais de sucesso no período, mas o melhor de sua produção está nos discos em que interpreta clássicos da música americana. Excelente escolha para a homenagem desse ano.

OSCAR 2011: Melhor Canção Original

As canções formam uma parte querida do imaginário de todo amante de filmes. Afinal, em seus 82 anos, o Oscar consagrou obras inesquecíveis como “As Time Goes By”, “They Can`t Take That Away from Me” e muitas outras. Nesse ano, os indicados estão num bom nível, embora nada muito diferente dos anteriores (e nenhuma das canções é tão grudenta quanto “Jai Ho”, de Quem Quer Ser um Milionário, a última realmente memorável da categoria). Deles, “We Belong Together”, de Randy Newman, sai à frente. O compositor, que é veterano em indicações e até já levou o prêmio, é um artista de carreira sólida, que vem lançando ótimos discos desde os anos 1970, e cuja obra vale muito a pena descobrir.

Comentários sobre o OSCAR 2011 - Parte 4

video
Comentários geniais de Diego e César!

OSCAR 2011: Melhores Efeitos Visuais e Montagem

Os efeitos visuais sempre tiveram uma importância capital para o cinema de Hollywood – é através deles que roteiristas e diretores podem concretizar suas fantasias e transformá-las em filmes. Desde o início do cinema, tivemos as mais variadas técnicas para produzir ilusões: fusões, espelhos, fotografias. Nos últimos vinte anos, especialmente a partir de Matrix e O Senhor dos Anéis, o voga tem sido a utilização da computação gráfica. E essa foi a regra para os indicados desse ano.
O vencedor, A Origem, confirma a perícia técnica de Christopher Nolan e sua equipe, produzindo cenas incríveis das mais variadas formas. Merecidíssimo.
 
Aos poucos, A Rede Social vai faturando algumas das categorias mais importantes do Oscar, disputando o favoritismo da cerimônia com O Discurso do Rei. À medida que os prêmios vão passando, os cinéfilos se acirram nas suas preferências. Dessa vez, Rede Social leva a Melhor Montagem, mais um triunfo justo do filme de David Fincher.

Melhor Curta-Metragem, Documentário em Curta-Metragem e Documentário


E os curtas-metragens fazem sua aparição no Oscar! Stranger No More, curta-metragam de documentário, e God of Love, o curta de ficção, fizeram barulho na cerimônia, ainda que God of Love tenha sido bastante criticado. Uma das surpresas desta cerimônia.

E o prêmio de Melhor Documentário traz o Brasil ao Oscar! A torcida por Lixo Extraordinário foi grande, mas a história da obra do artista Vik Muniz passou batida, perdendo para Inside Job, investigação sobre as origens da crise econômica que vem assolando Estados Unidos e Europa. Não deixa de ser merecido, mas imaginem se Lixo tivesse ganhado... valeu a tentativa!

Comentário sobre o OSCAR 2011 - Parte 3

video
Comentários sacanas sobre o OSCAR com Diego Bauer e César Nogueira!

OSCAR 2011: Melhor Maquiagem e Figurino

Maquiagem e figurino são dois assuntos nos quais Hollywood não erra. O que não quer dizer que não haja mérito para os vencedores das duas categorias. Afinal, depende delas o sucesso (ou não) de um filme em imergir o espectador no seu mundo. No caso da maquiagem, não havia, realmente, páreo para O Lobisomem, em que Benicio Del Toro precisa ser transformado (convincentemente) na famosa fera.

Já em figurinos, o prêmio vai para Alice. Como na direção de arte, de que forma é possível competir com a ambientação impecável da obra de Tim Burton, de longe a melhor coisa do filme?

OSCAR 2011: Melhor Edição e Mixagem de Som

Edição e mixagem de som são departamentos mais complicados. É preciso julgar obras cheias de explosões e ruídos ao lado de filmes sutis, em que os barulhinhos podem mudar, e bastante, a nossa percepção da cena. Deu A Origem nos dois casos. Merecido, já que a obra de Christopher Nolan depende das menores sutilezas para enredar o espectador nas complicados mudanças entre os mundos real e imaginário.

OSCAR 2011: Melhor Trilha Sonora

Num ano de indicados surpreendentes, que fogem à “Fórmula Oscar” já tão decantada, a categoria Melhor Trilha Sonora também investiu na qualidade das obras. Compositores já experientes de Hollywood, como Alexandre Desplat e Hans Zimmer, dividem espaço com novatos como Trent Reznor e Atticus Ross.
Três dos concorrentes, A Origem, 127 Horas e A Rede Social investem na ousadia, com temas tensos e sombrios, que sublinham com brilhantismo as imagens da tela. Dentre eles, porém, A Rede Social vai mais longe. Combinando guitarras, cordas e ruídos eletrônicos, Reznor e Ross aprofundam a trajetória melancólica de Mark Zuckerberg, o criador do Facebook. A Academia está de ouvidos atentos.

Oscar 2011 - Melhor Trilha Sonora



Num ano de indicados surpreendentes, que fogem à “Fórmula Oscar” já tão decantada, a categoria Melhor Trilha Sonora também investiu na qualidade das obras. Compositores já experientes de Hollywood, como Alexandre Desplat e Hans Zimmer, dividem espaço com novatos como Trent Reznor e Atticus Ross.
Três dos concorrentes, A Origem, 127 Horas e A Rede Social investem na ousadia, com temas tensos e sombrios, que sublinham com brilhantismo as imagens da tela. Dentre eles, porém, A Rede Social vai mais longe. Combinando guitarras, cordas e ruídos eletrônicos, Reznor e Ross aprofundam a trajetória melancólica de Mark Zuckerberg, o criador do Facebook. A Academia está de ouvidos atentos.

Comentários sobre o OSCAR 2011 - Parte 2

video
Mais comnetários abalizados (ou não) sobre o OSCAR 2011!

Diego Bauer e César Nogueira no comando!

Oscar 2011 - Melhor Ator Coadjuvante

Melhor Ator Coadjuvante... a categoria, neste ano, está num nível desigual. Dois dos indicados saíram bem à frente dos demais: Christian Bale, em O Vencedor, esteve brilhante como o ex-boxeador viciado em crack que é um peso para sua família; e Geoffrey Rush, que já foi indicado em outras ocasiões, traz um desempenho soberbo como o médico que trata Colin Firth em O Discurso do Rei.
Deu Bale. Justiça para um ator conhecido pelo temperamento forte, que já deu piti em sets de filmagem, mas cujo talento jamais foi posto em dúvida.

OSCAR 2011 - Melhor Filme Estrangeiro


O que talvez tenha sido a maior decepção do Oscar desse ano foi a categoria Melhor Filme Estrangeiro. Não creio que o cenário tenha sido ruim no cinema mundial (quanta coisa boa tivemos na América do Sul – Tropa de Elite 2 no Brasil, por exemplo). Os indicados, no entanto, ficam muito a dever a outras categorias, como Melhor Filme e Animação.
Nessa seleção, o melhor é mesmo Em um Mundo Melhor. Obra da dinamarquesa Susanne Bier, o filme aprofunda a investigação que obras anteriores da cineasta, como Brothers, fizeram com brilho. Um trabalho intenso que faz par com filmes como A Fita Branca, do alemão Michel Haneke, no recente acerto de contas que o cinema europeu tem feito com seu passado.

OSCAR 2011 - Melhor Roteiro Adaptado e Original

Outra categoria cujo nível dos indicados é alto. Aliás, o que define se um Oscar vai ser bom ou não num ano é a qualidade das suas histórias. Nesse departamento, estivemos bem servidos em 2010. Tanto Melhor Roteiro Original quanto Adaptado trouxeram histórias fortes, intensas, que não hesitaram em abordar temas polêmicos como a homossexualidade (caso de Minhas Mães e meu Pai), nem subestimaram a inteligência do público (taí A Origem e suas viagens temporais que não me deixam mentir).

Pra Academia, a missão foi difícil. Por isso, precisamos perdoar o fato de que, para Melhor Roteiro Original, a escolha foi O Discurso do Rei, e não A Origem. Ambos os trabalhos são admiráveis, e qualquer um que tivesse vencido seria justo. Já na de Roteiro Adaptado, A Rede Social desponta como vencedor óbvio, mesmo com o alto nível dos demais indicados. Desta vez, nenhum dos vencedores chegou a ser uma surpresa.

Comentários sobre o OSCAR 2011 - Parte 2

video
Comentários sobre o melhor do OSCAR 2011 agora com Diego Bauer e César Nogueira!

OSCAR 2011 - Melhor Animação e Melhor Curta-Metragem de Animação

The Lost Thing, o vencedor de melhor curta animado, aguarda exibição em Manaus, como tantas outras obras de destaque no circuito do cinema menos comercial. A bela história conseguiu desbancar um ótimo curta da Pixar (Day & Night), no que é uma rara interrupção da sequência de prêmios que a produtora vem levando.
 
E Toy Story 3, surpresa, ganhou! Já chegou a hora da Academia colocar os filmes da Pixar para disputar (a sério!) em categorias como Melhor Filme, e deixar espaço para que outras produtoras levem seus filmes a um reconhecimento maior de público e crítica. Mais um indício de que a Pixar é a melhor coisa do cinema hoje em dia.

OSCAR 2011 - Melhor Atriz Coadjuvante



A disputa na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante estava mais apertada nesse ano. Amy Adams, Helena Bonham-Carter, Jacki Weaver, Melissa Leo e Hailee Steinfeld, nenhuma delas famosa (talvez Helena seja um rosto familiar, mas é só), entregaram desempenhos emocionantes em seus filmes. Duas delas, no entanto, brilharam mais: Melissa Leo, em O Vencedor, e Hailee Steinfeld, por Bravura Indômita (seu primeiro filme!), já apareciam como favoritas na imprensa e nas cotações de cinéfilos há tempos.

A Academia mostrou que Melissa saiu-se melhor. O que de modo algum é uma injustiça. Melissa tem um papel extremamente forte e consegue se destacar em um elenco de pesos pesados como Christian Bale, Amy Adams e Mark Whalberg.

Melissa Leo, no entanto, ameaçou sabotar a própria premiação ao estrelar anúncios publicitários explicitamente “pró-vitória” em revistas americanas. A Academia, porém, fez justiça ao seu trabalho em O Vencedor, abrindo mais portas para uma carreira já triunfante, mas que pode nos surpreender mais.

Melhor Direção de Arte e Fotografia - OSCAR 2011

Os prêmios de melhor Direção de Arte e Melhor Fotografia vieram aquecer a disputa do Oscar, ao fugir dos candidatos óbvios e fazer justiça a trabalhos ousados.
A suntuosidade dos sets, figurinos e efeitos digitais de Alice não deram muita escolha à Academia. O muito aguardado longa de Tim Burton não deu em muita coisa, mas não dá pra negar que, nesta categoria, não havia mesmo outro candidato.
Já A Origem, que levou Fotografia, é uma surpresa. William Pfister teve um desempenho admirável ao orquestrar os complicados movimentos de câmera na obra do diretor Christopher Nolan. Duvido que alguém tenha conseguido esquecer sequências como a da luta fora da gravidade gravidade (!) de Joseph Gordon-Levitt no corredor de um prédio. Parabéns a Pfister numa categoria cheia de grandes trabalhos.

Começo - Transmissão do OSCAR

video
Diego Bauer e César Nogueira comandam nossa apresentação!

Não Perca!

OSCAR 2011 é no SET UFAM!

Tapete Vermelho - Parte 3

                                                                     Andrew Garfield
                                                                        Nicole Kidman
                                                                         Cate Blanchett
Jennifer Hudson

 Celine Dion

 Halle Berry

Scarlett Johansson

Oscar 2011 - Tapete Vermelho - Parte 2

 Jennifer Lawrence

Virgina Madsen


 Hailee Steinfeld

Jesse Eisenberg

Tapete Vermelho - OSCAR 2011

                                                                           Mila Kunis

 
                                                                     Jennifer Lawrence       
                   
                                                                       Anne Hathaway

                                                                        Amy Adams

                                                                         Hailee Steinfeld

                                                                      Michelle Willians

                                                                      Melissa Leo