sábado, 28 de maio de 2011

Era uma vez... Duas vezes... Três vezes...

Por Jéssica Santos 

Contos de fadas são uma fonte inesgotável de histórias para o cinema há mais de um século e hoje, multiplicam-se nas salas de cinema. 

Walt Disney construiu um império com desenhos animados como “Branca de Neve e os Sete Anões” (1937) e “Cinderela” (1950). Os anos se passaram e mostraram que os contos de fadas, inicialmente voltados às crianças, agradam cada vez mais os adultos, incluindo os adolescentes. 

“Enrolados” não se transformou em um dos grandes sucessos de bilheteria do ano limitando seu apelo às crianças, e o recém-lançado “Beastly” - baseado em “A Bela e a Fera” - e “A Garota da Capa Vermelha” fizeram mais, e excluíram as crianças de seu público! 

 
A verdade é que o público adulto se encanta pelas histórias com as quais cresceram. O sucesso também pode se dá porque as verdades simples dos contos de fadas tem poder nos dias tão conturbados de hoje. Outra explicação é que tanto as pessoas quanto os artistas adoram explorar elementos conhecidos de formas diferentes, encontrando um novo ângulo em histórias antigas. É um prazer para nós assistirmos, e para eles fazerem. 

Depois dos vampiros é a vez de princesas, fadas e seres encantados em geral invadirem os cinemas. “Alice no País das Maravilhas” de Tim Burton deu início a uma tendência que não deve terminar tão cedo: a adaptação de contos de fada para as grandes telas. “Beastly”, que já passou pelos EUA, e “A Garota da Capa Vermelha”, com Amanda Seyfried no papel-título, em cartaz no Brasil, são exemplos atuais do modelo-tendências. 

“João e Maria” está em produção e nada menos que três versões de “Branca de Neve e os Sete Anões” estão agendadas, com Kristen Stewart (Branca), Julia Roberts e Charlize Theron (rainhas) estrelando cada uma delas! 

 Branca de Neve e os Sete Anões 

Kristen Stewart estará no papel de Branca de Neve em “Snow white and the Huntsman”, e para o personagem do caçador Chris Hemsworth está confirmado. No filme, o caçador é contratado pela rainha má Ravenna (Charlize Theron), para encontrar a enteada dela, mas quando descobre que a rainha quer, na verdade, matar Branca de Neve, ele a ajuda a escapar. Evan Daughterty escreveu o roteiro, que será dirigido por Rupert Sanders, egresso dos comerciais. 


As filmagens já começaram para tentar ganhar vantagem sobre o projeto concorrente: “The Brothers Grimm: Snow White”, cuja produção começou em março, e tem Julia Roberts no papel de rainha má.
O indiano Tarsem Singh (“A Cela”) dirige a partir do roteiro de Melisa Wallack. O filme começa com a madrasta de Branca de Neve matando o pai dela e destruindo o reino. A heroína (Lily Collins) precisa, então, se unir a sete anões dispostos a brigar para reclamar os seus direitos. 

A corrida continua. “Snow White and the Huntsman” parece levar uma leve vantagem hoje, apesar de os dois estarem previstos para 2012. Enquanto isso,”Snow and the Seven”, o terceiro filme em produção sobre a fábula, tenta correr atrás do prejuízo, mas só será lançado em 2013, e ainda não tem elenco.


 A Bela e a Fera

Enredo de “Beastly” - Kyle Kingson (Alex Petty) é um jovem que tem tudo: inteligência, beleza, riqueza e boas oportunidades, mas possui uma personalidade perversa e cruel. Após humilhar uma colega de classe, ele é amaldiçoado por ela para se tornar tudo o que ele despreza. Nervoso com a sua nova e horrível aparência, Kyle vai atrás da garota (Vanessa Hudgens) e descobre que só terá a sua beleza de volta se fazer com que alguém consiga amá-lo, algo que ele considera impossível.


 João e Maria 

A nova versão da história de João e Maria está em fase de pós-produção, e com um ótimo elenco: Famke Janssen, a Jean Grey da trilogia “X-Men”, será a líder das bruxas em “Hansel and Gretel: Witch Hunters”. Gemma Arterton (“Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo”) vai interpretar Gretel e Jeremy Renner (“Guerra ao Terror”) faz Hansel. 

A trama do filme se passa 15 anos depois dos acontecimentos da história dos irmãos Grimm. Depois de escapar da bruxa e sua casa de doces na infância, os irmãos tornam-se especialistas em caça às feiticeiras.
A direção fica por conta do norueguês Tommy Wirkola (“Dead Snow”), que também escreveu o roteiro com Dante Harper. Adam McKay, conhecido por dirigir as comédias estreladas por Will Ferrell, produz.



A Pequena Sereia 

Com a boa resposta do quarto filme da série “Piratas do Caribe” na bilheteria, alguém dentro da Sony Pictures deve ter resolvido que as sereias são a próxima moda. ”A Pequena Sereia”, o clássico conto de fadas de Hans Christian Andersen, vai virar filme novamente. 

O estúdio comprou os direitos de “Mermaid: A Twist on the Classic Tale”, livro de Carolyn Turgeon que dá um tom mais sombrio ao conto. Na trama, para salvar o seu reino, uma princesa enfrenta uma jornada perigosa para se casar com o príncipe do reino rival. Ela só não desconfia que uma bela sereia sacrificou tudo o que tem para ficar com o mesmo homem. 

Shana Feste (Country Strong) escreve e dirige o filme. Tobey Maguire, sim, ele mesmo! Que já trabalhou com Feste em Country Strong, produz o filme pela sua Material Pictures.

 Mas não espere finais felizes nesses contos clássicos, a moda é reinventar e assustar!

Um comentário:

  1. Alexandre Oliveira29 de maio de 2011 12:39

    Então estamos voltando as origens dos contos de fadas - feitos para adultos e cheios de sensualidade e violência - Também, talvez, vivamos um deserto de criatividade, seria mais fácil fazer releituras do que criar histórias originais. O cinema as vezes me parece que chegou no fim do túnel, em um beco sem saída, onde não sabe se diverte simplesmente ou atende aos interesses do capital para sobrevivência dos estúdios.

    Belo texto! chama a atenção para uma tendência do cinema atual e concordo quando você diz: "O adulto se encanta pela histórias comm as quais cresceram". É como se ao assistir esses filmes nos teletransportasse de volta a nossa infância querida onde se pode imaginar ser e fazer qualquer coisa. Contos de fadas nos permite adentrar em realidades apenas desejadas, vivenciando-as sem perigo. Também é uma forma de aprender a lidar com os revezes da realidade, adicionando tempero a nossa vida. Que bom que o cinema tem buscado ser um chef nos servindo boas receitas,antigas ou novas, "uma, duas ou três vezes...".

    ResponderExcluir